SAIBA COMO ABORDAR UMA EXCURSÃO SEM GUIA DE TURISMO

Abaixo listamos momentos de como se deve conduzir um diálogo entre o GT e o responsável da excursão quando em trânsito pela sua cidade. Mesmo sabendo que cada cidade possui dinâmica e legislações diferentes, o passo-a-passo abaixo foca o melhor entendimento entre às partes.

Estamos vivendo um novo momento. Hoje estamos sendo contagiados pela esperança que é possível fazer valer a lei. Muitos guias acreditando que por meio do sindicato os momentos podem acontecer. Dessa forma, estão cada vez mais se empenhando na fiscalização dos ônibus rodoviários que chegam de fora. Isso é fantástico, no entanto nos preocupa o estilo de abordagem que cada um irá realizar. Para isso relacionamos alguns pontos que são importantes para uma abordagem tranquila, segura e CONSENSUAL.

  1. Entender e ter conhecimento das legislações que tratam sobre a profissão regulamentada de Guia de Turismo, em âmbitos federal, estadual e municipal;

  2. ESTAR com a credencial no peito e atualizada;

  3. NUNCA ESQUECER, o diálogo não pode ser ríspido e de rosto mal humorado;

  4. SER CORDIAL e TRANQUILO, apresentar-se como GT e procurar saber se a excursão está com um GT local;

  5. Caso contrário, SABER e ENTENDER os motivos, e EXPLICAR sobre a importância desse profissional para o sucesso de sua excursão em Alagoas;

  6. Se realmente não quiser COMPREENDER comunique sobre a lei estadual 6.943/08 e decreto 4.206/09 que orienta e obriga a contratação do profissional GT; tem uma cópia em mãos!

  7. Caso afirme que não vai contratar o GT local, DEIXE CLARO, de maneira natural, que a excursão poderá ser fiscalizada no dia seguinte e impedida de sair caso não tenha um GT a bordo do veículo;

  8. NUNCA USE A FORÇA para impor a contratação do guia local;

  9. Diante de todos os esforços, PERSISTINDO EM NÃO CONTRATAR o GT, e realmente não havendo mais o que fazer, agradeça a atenção dispensada e comunique ao sindicato, aos me membros da mesa diretora;

  10. Havendo negação de qualquer natureza, NÃO DESACATE, DESRESPEITE e nem use de palavras que COMPROMETA a sua abordagem. Diante da lei, o errado será sempre o responsável da excursão. Com isso NÃO PODEMOS GERAR MOTIVOS para quê possamos ser questionados. Geralmente os passageiros não sabem da legislação turística e do Código de Defesa do Consumidor, por isso acreditam sempre no responsável da excursão que pode jogar o grupo CONTRA VOCÊ;

  11. NÃO FALE DE POLÍCIA, esse momento cabe ao representante do sindicato.

Agindo dessa forma, teremos certeza que o sucesso acontecerá.

Caso algum profissional Guia de Turismo aja de forma diferente, o SINGTUR-AL não apoiará e nem assumirá nenhuma responsabilidade a favor do guia que infringir nossas recomendações.

Mais orientações, visite: http://singtural.org/orientacoes.php