CÓDIGO DE ÉTICA

Você conhece os princípios éticos do Guia de Turismo no desenvolvimento de suas relações com o mercado turístico?

Você sabe dos seus direitos e deveres como profissional do setor do turismo?

Abaixo entenda como você deve se posicionar eticamente durante suas atividades profissionais.

Princípios Fundamentais

O código de ética tem por objetivo fixar normas de procedimento dos profissionais Guias de Turismo quando no exercício da profissão, regulando as relações com a própria categoria, com o cliente/turistas, com trade turístico, com gestores públicos e sociedade em geral.

Direitos

- Garantir, defender suas atribuições, estabelecidas na Lei de Regulamentação da profissão -Lei 8.623 de 1993;

- Participar de entidades representativas da categoria;

- Participar de atividades públicas ou não, que visem defender os direitos da categoria;

- Defender a integridade moral e social da profissão, denunciando quaisquer tipo de ação desmoralizadora;

- Ter acesso a cursos de treinamento/capacitação e a outros eventos que possam aprimorar sua profissão;

- Receber remuneração digna de seus serviços.

Deveres

Direcionar seu comportamento profissional, sempre a bem da verdade, da moral e da ética;

- Fazer de sua profissão um fim para sua realização profissional;

- Respeitar sua profissão e exercer suas atividades procurando aperfeiçoamento;

- Ser positivo em seus posicionamentos e tomadas de decisões, sabendo colocar e expressar suas atividades;

- Atuar sempre à luz da verdade, não induzindo o usuário dos seus serviços a erros de interpretação quanto às informações prestadas;

- Desenvolver ao máximo seu sentido de responsabilidade, evitando que, por omissão ou negligência, seus atos possam causar prejuízos à empresa onde trabalha, ao público em geral ou aos seus companheiros de profissão;

- Demonstrar conduta apropriada em todos os seus atos públicos e privados, atendendo com esmero, pontualidade, discrição e zelosa diligência às funções de guia de turismo;

- Não tecer, quando no exercício da atividade, comentários políticos partidários, não emitir qualquer comentário desfavorável sobre pessoas ou locais, nem fazer qualquer tipo de discriminação de raça, credo, religião, sexo ou costumes;

- Respeitar o Meio Ambiente e o Patrimônio Nacional, colaborando na sua preservação;

- Operacionalizar e canalizar o processo de comunicação com o público;

- Combater o exercício ilegal da profissão;

- Lutar pelo progresso da profissão.

Relações entre os Guias de Turismo

- Estabelecer e manter clima cortês no ambiente de trabalho, não alimentando discórdias, e desentendimentos profissionais;

- Respeitar a capacidade e as limitações individuais, sem preconceito de cor, religião, cunho político ou posição social;

- Respeitar a hierarquia com liderança e competência;

- Manter entre si, a solidariedade e o intercambio, como forma de fortalecimento da categoria. 

Relações com a Empresa

- Agir como elemento facilitador das relações interpessoais na sua área de atuação;

- Atuar como figura chave no fluxo de informações;

- Manter postura e vocabulário adequados no exercício da profissão;

- Identificar-se com a filosofia empresarial, sendo um agente facilitador e colaborador de mudanças administrativas e políticas.

Relações com as Entidades de Classe

- O Guia de Turismo deve participar ativamente de sua entidade representativa, colaborando e apoiando os movimentos que tenham por finalidade defender os direitos profissionais;

- Acatar as resoluções aprovadas pelas entidades de classe;

- Quando no desempenho de qualquer cargo diretivo, não utilizar dessa posição em direito próprio;

- Guias de Turismo devem cumprir suas obrigações legalmente estabelecidas, junto a entidades de classe a que pertencem.

Sigilo Profissional

- O Guia de Turismo no exercício de sua profissão deve guardar absoluto sigilo sob os assuntos e documentos que lhe são confiados;

- É vedado ao Guia de Turismo assinar documentos que possam resultar no comprometimento da dignidade profissional da categoria. 

Vigência

As infrações a este código de ética profissional acarretam às infrações de penalidades, que vão desde advertência até à cassação da habilitação profissional;

- As infrações constituem; transgredir preceitos do código de ética, exercer a profissão sem que esteja devidamente habilitado nos termos da legislação específica, utilizar o nome da categoria profissional para quaisquer fins sem endosso do Órgão de Classe a nível nacional
e ou estadual.